20 de novembro de 2018 - 07:31

Agronegócio

15/06/2018 15:57

Empaer apresenta sistema ILP como alternativa para alimentação de bovinos

No Sítio Nova República II, na área do produtor rural Márcio José Araújo, localizada no Assentamento Tira Sentido, no município de Alto Paraguai (218 km a Médio-Norte de Cuiabá), foi implantado o sistema de Integração Lavoura e Pecuária (ILP) com o objetivo de garantir alimentação para o bovino leiteiro no período da seca. Numa área de 2,57 hectares foram instalados sete piquetes de capim mombaça que irão alimentar 25 animais adultos durante 14 dias por mês.

O técnico agropecuário da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Irapuan Rodrigues da Silva, fala que a implantação da tecnologia Integração Lavoura e Pecuária teve início neste ano e já foi realizada o preparo da silagem de milho com o capim mombaça e piqueteamento para sistema de pastejo rotacionado. Na propriedade foram produzidas 58 toneladas de silagem, que juntamente com a capineira de cana-de-açúcar e de capim elefante já implantadas, serão o suficiente para alimentar o rebanho da propriedade no período da seca.

O técnico Irapuan reforça sobre o problema da estacionalidade da produção que é comum entre os sistemas de criação mais tradicionais. Durante a seca o volume de leite cai para 50% ou menos, sendo um problema para a indústria que trabalha com matéria-prima muito abaixo da capacidade instalada, e principalmente para o agricultor que tem sua renda reduzida e os custos elevados. Rodrigues destaca a importância do ILP que, juntamente com um bom manejo da espécie forrageira e o fornecimento de alimentação de volumoso no período da seca, potencializa a produção da pastagem com maior produtividade por hectare.

Com uma produção de 190 litros de leite por dia, com a tecnologia ILP a intenção é produzir a mesma quantidade ou mais no período da seca. O produtor Márcio relata a importância do planejamento e do balanceamento alimentar do rebanho juntamente com a assistência técnica da Empaer.  “Fico tranqüilo em saber que no período da seca teremos alimento suficiente e com qualidade para todo o rebanho”, enfatiza.

De acordo com Irapuan, para chegar nessa etapa foi necessário realizar o planejamento do sistema  ILP, partindo da escolha da área, tamanho necessário para produção de alimento (silagem) para alimentar o rebanho na seca e escolha das variedades de capim e de milho. Foi necessário realizar a análise de solo, preparo do solo, correção, plantio simultâneo do capim e do milho na mesma área, condução das culturas, ensilagem do material, dimensionamento dos piquetes, manejo dos piquetes com pastejo dos animais e fornecimento da silagem aos animais.

O sistema ILP é uma alternativa viável que contribui para a recuperação de áreas degradadas, com a adoção de boas práticas agropecuárias (BPA) e o aumento da eficiência através do uso de máquinas, equipamentos e mão de obra. “Ressalto a importância da assistência técnica preventiva e eficaz, além do planejamento da atividade para melhorar a renda e aumentar a produção”, esclarece.

Os técnicos da Empaer têm recebido orientações dos pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para atuação conjunta nos processos de transferência de tecnologia que já vêm sendo realizados em Mato Grosso por meio da capacitação continuada. Desde 2011, foram estruturados processos de capacitação continuada na cadeia de bovinocultura. A previsão para este ano é capacitar 208 técnicos da Empaer.

Integração Lavoura e Pecuária

O Sistema consiste na exploração de atividades agrícolas e pecuárias, de forma integrada, em rotação ou sucessão, na mesma área e em épocas diferentes. A técnica aumenta a eficiência no uso dos recursos naturais e causa menor impacto sobre o meio-ambiente, uma vez que os processos de degradação são controlados por meio de práticas conservacionistas. O ILP consiste na diversificação da produção, possibilitando o aumento da eficiência na utilização dos recursos naturais, a preservação do meio ambiente, a estabilidade de produção e a renda do produtor.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.