17 de outubro de 2018 - 03:12

Esporte

07/05/2018 10:12

Corinthians para no Ceará e chega a quatro jogos sem vencer

 

Neste domingo (6), a Arena recebeu 40 mil torcedores, mas o resultado não foi o esperado para o time da casa. Fechado à defesa depois de abrir o placar com um golaço de Wescley, o Ceará segurou o empate por 1 a 1 com os corintianos. Henrique, capitão do time misto escalado por Fábio Carille, fez de cabeça.

Com uma formação ofensiva pesada, com 71 anos combinados entre Danilo, que se machucou, e o estreante Roger, o Corinthians não foi um time inspirado, exceto pelo jovem Pedrinho. Sem seus titulares, conseguiu só um ponto e fica com 7 após quatro rodadas do Brasileirão. O Ceará, por sua vez, chegou a dois em um início de campeonato com tabela ingrata – Santos, São Paulo, Flamengo e agora os corintianos foram seus primeiros rivais.

Os melhores: Pedrinho e Wescley

Pedrinho suportou 79 minutos e, enquanto esteve em campo, e principalmente com gás, foi o melhor jogador do time de Carille. Arriscou dribles, deu bons passes e até sofreu um pênalti, na visão dos corintianos, ao ser pisado na área. Mas, cansado, saiu para a entrada de Sheik.

Escalado pela ponta direita do Ceará, Wescley também conseguiu bons lances, levou perigo e anotou um golaço – além de marcar muito a Sidcley, que apoiou pouco.

O pior: Marquinhos Gabriel

Mais um jogador que não aparecia havia muito tempo entre os titulares, Marquinhos decepcionou. Errou finalizações, passes e, como sempre ocorre quando ele não vai bem, torcida pegou no pé. Saiu no segundo tempo para a entrada de Mateus Vital.

Roger perde a maioria das disputas e tem estreia discreta

Depois de três semanas aproximadamente de preparação, Roger foi escalado para o time titular e não brilhou. Mais fixo, saiu da área em momentos bem esporádicos, mas sua exibição foi discreta e as oportunidades para concluir foram poucas. O centroavante teve uma grande chance aos 36 minutos do segundo tempo, mas - livre dentro da área - cabeceou para fora.

Ceará sai da "seca" no Brasileirão

O golaço de Wescley, aos 8min de jogo, foi o primeiro da equipe após três rodadas sem marcar no Brasileirão. Essa era a maior "seca" do time cearense desde 1971, quando também passou três partidas seguidas na Série A balançar as redes. Curiosamente, o Ceará anotou o primeiro gol justamente quando o técnico Marcelo Chamusca optou por deixar Arthur, artilheiro do time no ano, no banco de reservas. O atacante soma 16 gols na temporada.

Carille escala time pesado. Chamusca desiste de três zagueiros

Com desgaste, Carille poupou Balbuena, Rodriguinho, Romero, Mateus Vital e ainda Jadson, que foi a campo ainda no primeiro tempo. A equipe, com Roger e Danilo, se mostrou pesada e incapaz de pressionar a saída de bola do Ceará. Com a entrada de Jadson, e depois apostas em Vital e Sheik, o treinador tentou mudar o panorama, amplificado pela sequência de jogos e o calor das 11h.

Marcelo Chamusca, por sua vez, deixou sistema com três zagueiros e surpreendeu na escalação com um 4-2-3-1 e jogadores dos lados do campo muito dedicados à marcação. Depois de abrir o placar, porém, o Ceará não foi mais o mesmo e perdeu seu ímpeto ofensivo.

O tempo pesa para Danilo, que sai machucado

Danilo jogou na posição que deseja, como meia, mas não teve forças para aguentar além de 27 minutos. O veterano, 39 anos, saiu por problemas na panturrilha para a entrada de Jadson. Ele não era titular desde julho de 2016, dia de empate em clássico com o São Paulo. Parece cada vez mais madura a decisão de que esse seja o último ano de sua vitoriosa carreira.

Foto: Marcello Zambrana/AGIF (via UOL)


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.