21 de setembro de 2020 - 10:54

Esporte

04/02/2020 08:16

Flamengo atualiza modelo do Mister e esboça novas alternativas de jogo

As premissas básicas de Jorge Jesus seguem bem sedimentadas no elenco. Agora, ele busca complementos a isso, e Pedro e Michael mostraram o que podem acrescentar

Em diversos momentos da entrevista coletiva, Jorge Jesus fez questão de deixar claro: o jogo contra o Resende, vencido por 3 a 1 de virada, foi sempre encarado como uma preparação. A primeira prova de fogo do Flamengo em 2020 será contra o Athletico, na Supercopa do Brasil. Até lá, o que veremos serão rascunhos do que o Mister pretende.

+ Após vitória do Flamengo, Jorge Jesus diz que Carioca é pré-temporada: "Importante é dia 16"

Considerando este contexto, o que foi possível ver no primeiro rascunho aberto ao público?

Após sete meses de trabalho, as premissas básicas de Jorge Jesus seguem bem assimiladas pelo elenco. Contra o Resende foi possível ver a maior parte dos mecanismos que fizeram do Flamengo um time tão vencedor em 2019: linha alta na defesa, pressão após a perda da bola, muita movimentação no ataque.

A execução, obviamente, não foi 100%. A zaga, ainda desentrosada, foi pega de surpresa no gol de Resende; a troca de passes não teve a mesma fluidez; a pontaria só se acertou no segundo tempo.

Mas o mais interessante de se analisar neste jogo são as novidades. Como Jorge Jesus pensa nos reforços do Flamengo como complemento para um modelo de jogo bem assentado e executado?

O centroavante

Pedro, autor de um gol e de uma assistência, simboliza bem isso. Ele é o centroavante que Jesus pediu desde que chegou ao Flamengo. De fato, o camisa 21 mostrou que tem características que faltavam ao elenco rubro-negro: presença de área e capacidade técnica para dialogar com as outras peças ofensivas.

Pedro comemora seu gol pelo Flamengo — Foto: André Durão

O arisco

Michael entrou na ponta direita com a incumbência de bombardear a área do Resende com cruzamentos. Ele participou do terceiro gol, mas sobretudo, foi o responsável por dar velocidade a um Flamengo que começava a cansar - afinal, os jogadores treinaram por 90 minutos pela manhã.

O habilidoso atacante deu mostras de que pode ser útil entrando contra defesas cansadas, usando sua individualidade. E muda completamente a característica da ponta direita, cujo dono, Everton Ribeiro, é muito mais armador do que velocista.

 
Michael em ação pelo Flamengo — Foto: André Durão

Michael em ação pelo Flamengo — Foto: André Durão

Mais testes virão

Ainda faltam Thiago Maia, Pedro Rocha e Léo Pereira para se ter uma ideia melhor de como Jorge Jesus vê estes reforços no elenco rubro-negro. Até o dia 16 de fevereiro, o caráter dos jogos será de teste. Não se espante se contra o Madureira algumas peças forem trocadas. Diego, por exemplo, foi titular diante do Resende para que o treinador o observasse.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.