Notícias

19/01/2018 13:23

Sucesso na repressão aos roubos a residência leva implantação de núcleo para atender o comércio

Luciene Oliveira | PJC-MT 

 
 

O sucesso das investigações na repressão aos roubos a residências levou a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá a criar o Núcleo de Investigação Especial de Roubo ao Comércio, que passou a funcionar na última segunda-feira, 15 de janeiro.

Conforme a delegada titular, Luciani Barros Pereira de Lima, a implantação do núcleo  busca melhorar ainda mais a efetividade das ações da Derf, dando maior consistência nos casos investigados, para assim como aconteceu nos roubos à residência, manter por maior tempo os criminosos na cadeia e reduzir ainda mais as estatísticas criminais na modalidade delituosa.

“Priorizamos a investigação ao invés do flagrante. Ao identificar os criminosos, representamos e cumprimos os mandados de prisão, tanto temporária quanto preventiva. Isso tem dado qualidade maior aos trabalhos. Essa coleta de prova possibilita um conjunto probatório melhor. A eficiência das nossas prisões tem permitido que os criminosos passem mais tempo na cadeia, inclusive, com a identificação de membros de associações e organizações criminosas que atuam com maior frequência em determinadas modalidades”, pontuou a delegada.

Em 2017, as investigações do núcleo de roubos a residência resultaram na prisão de 120 criminosos autores de assaltos em domicílios, com emprego de violência e restrição de liberdade das vítimas. O trabalho do núcleo identificou às principais lideranças criminosas, que agiam em bairros com índices de roubos a residência, qualificando e efetuando a prisão deles.

“Fizemos um trabalho específico retirando de circulação esses criminosos. Com isso, houve redução de quase 50% nos roubos a residências nos bairros que estavam no topo da lista. Tínhamos em média 4 a 5 ocorrências por semana. Hoje temos isso em um mês. O combate aos roubos é constante, devido a reincidência dos criminosos”, afirma Luciani.

Para a delegada, as investigações qualificadas dos núcleos dão mais celeridade na identificação dos criminosos. Mesmo não havendo a prisão, os dados são catalogados no banco de dados da Delegacia, que mantém sua base atualizada, possibilitando o cruzamento de informações e a vinculação de suspeitos que agem em determinado bairro com crimes ocorridos em outras localidades. “Com esse banco de dados atualizado, conseguimos facilitar o reconhecimento desses criminosos pelas demais vítimas”, assegura a delegada.

O núcleo especial de roubos ao comércio será coordenado pelo delegado, Eduardo Rizzoto de Carvalho, com apoio do Núcleo de Inteligência, que tem à frente o delegado, Fabiano Pitóscia, para o atendimento das ocorrências de gravidade (emprego de violência), repercussão e valor da mercadoria subtraída.

O funcionamento será nos mesmos moldes do Núcleo de Investigações de Roubos a Residências com restrição de liberdade da vítima, que permanece sobre a coordenação do delegado Caio Fernando Álvares de Albuquerque. O acionamento das equipes de plantão será através do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciosp).

As investigações da Polícia Civil vão começar ainda no calor da ocorrência, buscando informações no local e prestando atendimento humanizado às vítimas, para que elas se sintam acolhidas e prestem detalhes importantes à elucidação do fato. "Esse atendimento imediato, reduz o trauma sofrido pela vítima e possibilita relatos pormenorizados sobre as características dos suspeitos e acesso com tranquilidade ao acervo fotográfico da delegacia", ressalta Luciani Barros. 

A delegada destaca ainda que o Núcleo de Inteligência da Derf, conta com analistas formados e experientes que auxiliam todos os trabalhos de investigações desenvolvidas, sendo fundamental para o resultado positivo que a Delegacia vem apresentando.

Inquéritos e prisões

No ano passado, a Delegacia Especializada de Roubos de Cuiabá efetuou a prisão de 489 criminosos contumazes na prática de roubos diversos, furtos e latrocínios. Uma média de 5 mil criminosos foram indiciados em 2.050 inquéritos concluídos com autoria definida. Outros 305 casos esgotaram as diligências e foram finalizados sem apontamento do autor, elevando para 2.355 inquéritos concluídos e enviados à Justiça. Em 2017, mais de mil investigações foram iniciadas em 1.369 inquéritos instaurados. 

Entre os casos, estão latrocínios consumados ocorridos entre 2015 a 2017, que tiveram os autores identificados, somando 11 prisões efetuadas. Também foram concluídos 20 inquéritos referentes à tentativa de latrocínio. Ainda na Delegacia foram finalizados 63 termos circunstanciados de ocorrências.

“Nesses inquéritos concluídos identificamos e prendemos indivíduos de alta periculosidade que adentram nas residências e ‘tocam’ o terror junto às vítimas. Graças ao trabalho árduo e especializado de todos os investigadores e escrivães que compõem o quadro funcional da Derf temos conseguido manter esses indivíduos por mais tempo presos, e, obviamente, mantendo eles na cadeia, os números de roubos reduzem. Infelizmente, o meio de vida deles é o crime patrimonial e não podemos esmorecer”, ressalta Luciani Barros.

Apreensões e receptação

Recuperação de veículos roubados durante assaltos em residências, dinheiro em espécie, jóias, eletroeletrônicos diversos, como televisores, celulares, computadores, notebook, 44 armas de fogo, drones, e até uma carga furtada de sêmen bovino, avaliada em mais de R$ 1, 2 milhão, estão entre os bens recuperados nas investigações da Derf Cuiabá.

Objetos roubados ou furtados têm destino certo, os receptadores. Estes, por sua vez, revendem as mercadorias de diversas formas ou trocam por drogas e armas, no caso dos veículos que, em muitos casos, são atravessados na fronteira.

A delegada Luciani explica que nas investigações, por meio do Núcleo de Inteligência, a Delegacia desenvolve monitoramentos para identificar e recuperar produtos subtraídos, mas  lembra que cada cidadão tem sua cota de contribuição, nos crimes de receptação, quando compram produtos anunciados em redes sociais e sites, por valores muitos inferiores no mercado, sem exigir nota fiscal. “Com atitudes assim acabam fomentando a prática criminosa”, afirma.  

Limpeza do pátio

Administração do prédio, com busca de melhorias na infraestrutura e limpeza do pátio, também estão entre as atividades da Delegacia, que impactam no ambiente de trabalho dos policiais. No ano passado, todos os veículos (carros e motos) do pátio da unidade foram catalogados. O trabalho  consumiu quase 1 ano para levantar as condições de cada veículo, proprietário e, assim, tomar providências de devolução e encaminhamento ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran), nos casos permitidos, e juntada nos processo no Fórum de Cuiabá.

Ainda assim, com tantas ações diárias na repressão aos crimes patrimoniais, os delegados, investigadores e escrivães da Derf Cuiabá não deixaram de ajudar entidades e pessoas menos favorecidas. Eles se juntaram na arrecadação de alimentos especiais, materiais de higiene e limpeza e também brinquedos e roupas para doar a crianças, jovens e adultos de casas assistenciais de Cuiabá.  


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo