19 de novembro de 2018 - 13:26

Polícia

19/10/2018 19:16

Delator oferece imagens de circuito interno, fotos de jantares e "convite ao cinema" para mostrar proximidade com Taques

O empresário Alan Malouf forneceu à Procuradoria-Geral da República uma série de fotos e vídeos, além das imagens do circuito interno de sua residência, a fim de comprovar que ele e o governador Pedro Taques (PSDB) mantinham uma relação de “amizade estreita” até meados de 2017. O objetivo é desmentir nota divulgada pelo Gabinete de Comunicação do Governo, que alega mero “relacionamento social” entre o empresário, o governador e seu primo, Paulo Taques. Em seu acordo de colaboração premiada, Malouf afirma que Pedro Taques frequentava sua casa diariamente, chegando a dormir no local por duas vezes em 2015.



“O peticionante [Alan Malouf] provará com fotos e testemunhas, que poderão ser ouvidas, onde se demonstrará que o Sr. Pedro Taques frequentava diariamente a casa do peticionante, mantendo uma relação de amizade estreita, sendo que o Sr. Pedro Taques chegou a dormir em sua residência em duas oportunidades no decorrer do ano de 2015”, narra Alan Malouf, em parte da delação.
Malouf apresentou fotos em um jantar, aparentemente informal entre os dois, além de um evento “fechado para amigos” realizado em sua residência, no qual Taques discursara. E uma imagem da ex-primeira dama Samira Martins ao lado da esposa do empresário, alegando que as duas também eram próximas em função da relação dos maridos. (Imagens abaixo)
“Outro fato que poderá demonstrar a amizade e proximidade do governador do Alan é o vídeo que segue em anexo, onde na Inauguração do Shopping Várzea Grande, o governador, em momentos distintos, trata Alan como amigo, de forma totalmente diferente com a maneira como trata os demais empreendedores presentes”, diz outro trecho da delação.
No referido vídeo, Taques convida Malouf para um “almoço ou jantar” e posteriormente irem ao cinema.
 
Outro lado
Confira abaixo a íntegra da nota emitida pela assessoria do governador Pedro Taques:
Conforme já declarado desde 2016, o governador Pedro Taques nega a prática do chamado “Caixa 2” em sua campanha eleitoral ao Governo de Mato Grosso em 2014 e tampouco autorizou vantagens indevidas a qualquer empresa durante o exercício do mandato. Apesar de citado por delator em acordo de delação premiada, Taques não é réu no processo da chamada “operação Rêmora” e terá direito a ampla defesa nos autos. O governador já constituiu advogados para atuar no processo e garantir que a verdade prevaleça.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.