11 de dezembro de 2019 - 01:58

Saúde

22/11/2019 09:06

CRM vai apurar falta de anestesiologia no HMC

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) vai abrir sindicância ex-oficio para apurar as responsabilidades sobre possíveis irregularidades no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) - Dr. Leony Palma de Carvalho, que teve a última etapa da unidade, o setor de urgência e emergência, entregue na noite da última segunda-feira (18), pelo prefeito Emanuel Pinheiro, com o discurso de que o hospital estava em pleno funcionamento. A medida foi tomada após denúncias de falta de especialistas médicos em anestesiologia no hospital. Na noite da terça-feira (19), funcionários estavam aflitos em grupos de whatsapp em busca de profissional na especialidade.
Em nota, o CRM informou “que uma unidade médica deste porte, que prestará atendimentos de urgência e emergência, não deve, em hipótese alguma, abrir suas portas sem a estrutura mínima necessária, conforme estabelecido pela Resolução CFM 1451/95”. A norma, em seu artigo 1º prevê que os estabelecimentos de prontos-socorros públicos e privados deverão ser estruturados para prestar atendimento a situações de urgência-emergência, devendo garantir todas as manobras de sustentação da vida e com condições de dar continuidade à assistência no local ou em outro nível de atendimento referenciado.
Já no artigo 2º, segundo o CRM-MT, a resolução diz que “a equipe médica do pronto-socorro deverá, em regime de plantão no local, ser constituída, no mínimo, por profissionais das seguintes áreas: anestesiologia; clínica médica; pediatria; cirurgia geral; e ortopedia. “Sendo assim, o CRM-MT, órgão supervisor e fiscalizador do exercício profissional, e das condições de funcionamento dos serviços médicos prestados à população, abrirá sindicância ex-oficio para apurar as responsabilidades e irregularidades no HMC”, frisou.
A Prefeitura informou, por meio da assessoria de imprensa, que “após a desistência repentina da empresa que venceu a licitação para atuar com os serviços de médicos anestesistas na urgência e emergência do HMC, agiu rápido e restabeleceu o quadro de profissionais necessários para o funcionamento ideal da unidade hospitalar. “Com a medida emergencial, que incluiu documento de cedência dos profissionais efetivos do antigo pronto-socorro por parte da Secretaria Municipal de Saúde, o HMC atuou com quadro completo em plena capacidade durante esta quarta-feira (20), o que proporcionou 89 atendimentos graves em menos de 12 horas de plantão. Dentre eles quatro cirurgias de alta complexidade”, afirmou.
O diretor geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), Alexandre Beloto explicou que, embora o quadro tenha sido prejudicado no primeiro plantão do PS/HMC, não houve quaisquer prejuízos às pessoas que buscaram atendimentos na unidade. “O primeiro dia de atendimentos aconteceu com equipe completa o que proporcionou 72 atendimentos graves, incluindo seis cirurgias de média complexidade. Com equipe de anestesistas reduzida no período da noite, a equipe optou por transferir apenas uma cirurgia mais grave para o antigo pronto-socorro, uma vez que a equipe de lá estava completa. Com a ação rápida determinada pelo prefeito Emanuel Pinheiro, o quadro de médicos anestesistas foi regularizado e o HMC realizou mais 89 atendimentos graves, dentre eles cirurgias de alta complexidade”, garantiu.
A Secretaria de Saúde autorizou ainda a Empresa Cuiabana a fazer um estudo sobre a possibilidade de contratar empresas fora do estado para assumir o serviço de anestesia da Rede SUS Municipal. O HMC conta com 315 leitos, sendo 178 de adultos, 20 leitos no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), 60 de unidades de terapia intensiva (UTI), 38 de emergência, 06 salas de cirurgia e 13 leitos RPA (recuperação pós-anestesia). Além disso, conta com ambulatório com mais de 13 das especialidades médicas mais procuradas pela Central de Regulação, exames como ultrassonografia, endoscopia, colonoscopia e radiografia, parque tecnológicos com equipamentos de última geração, moderno centro de imagens e ainda farmácias satélites.
TRANSIÇÃO - Pensando na adaptação dos munícipes que estão acostumados a buscar os atendimentos no antigo pronto-socorro há mais de 40 anos, o secretário de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, disse que nestes primeiros meses ainda haverá um pequeno posto de urgência na unidade hospitalar para aqueles que por algum motivo ainda se dirigirem ao PS. “Esse paciente terá um primeiro acolhimento e depois será encaminhado para o HMC e aos poucos o espaço será fechado por etapas para ser reformado e transformado no HFAM - Hospital da Família, outro grande sonho do prefeito que será apresentado na próxima semana”, frisou.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.