23 de setembro de 2020 - 14:28

Saúde

19/03/2020 23:22

CARTA DO COLETIVO NEGRO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO AOS VEÍCULOS DE INFORMAÇÕES

O Coletivo Negro Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, é um espaço político e de formação contínua sobre relações raciais no Brasil e onde tratamos de assuntos penitentes da nossa vivência na UFMT e na sociedade brasileira. Gostaríamos de pedir que façam matéria que reflitam as nossas realidades, em que as medidas de emergência que estão sendo adotadas levem em conta as populações menos favorecidas, precisamos intensificar informes para pessoas pobres que mal tem água em casa, para pessoas que vivem entre mais velhos e mais novos, para aquelas que precisam trabalhar para ter sustento e isso os coloca expostos a situação pandêmica, e por vezes a quarentena não aparece enquanto solução viável.

Estamos cientes de que o vírus não elege raça, gênero ou classe e 54% da população é negra e 80% dela utiliza o SUS, entretanto precisamos considerar aqueles que devido as desigualdades sociais e raciais vividas na sociedade brasileira estão mais expostos ao vírus, o que se faz necessário pensarmos informes que considerem as realidades das populações em situação de vulnerabilidade afim de que possam encontrar uma forma de seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e ter condições de se prevenir e seguir os procedimentos que evitem a propagação do vírus.
Solicitamos que chamem à responsabilidade as gestões públicas neste momento. Queremos saber o que, efetivamente, está sendo feito pelos bairros marginalizados, por moradores de rua, trabalhadores informais, famílias que vivem com mais velhos, trabalhadores públicos que limpam as ruas, idosos que moram sozinhos. Queremos saber qual trabalho o setor público tem feito prevendo atendimento aos pobres.

 Atenciosamente, Coletivo Negro da UFMT 

Cuiabá, 18 de março de 2020.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.