07 de maio de 2021 - 04:58

Cidades

31/03/2021 10:18

Emanuel autoriza mais de 50 atividades essenciais continuarem funcionando em quarentena

Emanuel Pinheiro (MDB), prefeito de Cuiabá anunciou na tarde desta terça-feira (30), o novo decreto municipal 8372/2020 que passa a valer nesta quarta-feira (31) e vai até o dia 09 de abril, em resposta a determinação da desembargadora Maria Helena Póvoas que obrigou a capital e mais 49 municípios a seguirem o decreto estadual.

Em sua fala, o prefeito disse que essa polêmica é lamentável e foi pego de surpresa com a decisão judicial, pois está sendo atropelado, por ações e decretos do governo estadual e também por intervenção do Ministério Público, o que têm atrapalhado as suas ações, mas como professor de direito, sabe que decisão judicial não se discute, se cumpre.

O prefeito também falou que elaborou seu decreto após uma audiência com a presidente do Tribunal de Justiça, Maria Helena Póvoas e expôs a realidade de Cuiabá, onde 70% dos leitos de UTIs são ocupados por pacientes do interior e 30% da capital, onde a desembargadora de acordo com Emanuel quis contribuir.

Em seu decreto, o prefeito disse que tentou adequar a decisão judicial, mas, mantendo o trabalho da população com segurança, causando um menor impacto possível na economia. O prefeito para elaborar o seu decreto, utilizou o decreto federal 10.282/2020 do presidente Jair Bolsonaro que autoriza 54 atividades como essenciais com escalonamento de horário

O prefeito pede uma rigidez maior nas fiscalizações em eventos, festas, estabelecimentos que causam aglomerações, e locais que não respeitam o decreto, será tolerância zero e vai atacar os pontos que transgridem as normas de biossegurança.

“Os bons não podem pagar pelo mal e isso não é justo causa revolta mesmo na sociedade”, falou.

Contra lockdown

O prefeito defendeu que neste momento é contra as medidas restritivas, pois isso já foi feito na capital quando era necessário. Só se decreta lockdown segundo Emanuel, em duas ocasiões.

Na primeira, é para informar a população sobre o que era o vírus, como se proteger, quais medidas devem ser tomadas e o isolamento era necessário para informara a população, já na segunda opção de lockdown, é para preparar o sistema de saúde.

Emanuel elencou as unidades de saúde e leitos criados para o atendimento exclusivo para covid-19, e com isso, se preparou causando o menor impacto na saúde da vida das pessoas. O prefeito também citou o fato de Cuiabá já ter quase 60 mil pessoas com primeira e segunda dose da vacina contra a covid-19.

Por esses motivos citados, o prefeito disse que em um ano de experiência com programas, projetos e tudo que podia ser feito, foi realizado pela capital na briga para vencer o coronavírus. O gestor ainda citou o dinheiro enviado pelo governo federal para realizar ações e se preparar para uma segunda onda.

“Depois de um ano de lutas e isolamento social, uma parcela da população continuou levando uma vida normal e isso trouxe consequências e é uma realidade no mundo inteiro, mas não tem como chegar na sociedade e falar que tem que fechar tudo novamente não faz sentido. Todos os municípios brasileiros receberam recursos volumosos federais para que tivéssemos condições de enfrentar a covid-19”, defendeu a continuidade de convivência com o vírus de forma consciente segura.

“Os trabalhadores com medo de perder emprego e não ter dinheiro para sustentar a sua família, o setor produtivo está falindo e não podemos enfrentar o caos, enfrentando outro caos, e temos que aprender a conviver com o novo normal com segurança e respeitando as medidas de biossegurança”, acrescentou.


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.