23 de julho de 2021 - 19:54

Educação

23/10/2020 17:38

inscrições e Programação da XIV JORNADA DESIGUALDADES RACIAIS NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

 

 

Inscrições prorrogadas até dia 26/10 às 14h pelo link: encurtador.com.br/ACKR4

Acesse o canal do Youtube e se inscreva: encurtador.com.br/kuLT3

E acompanhe a contagem regressiva pelo link: https://youtu.be/BK5YQAAZ1C0. 
 

Os dias 26, 27 e 28, vamos dar uma conferida em quem vai estar na mesa redonda “Realidades africanas e afro-brasileiras: Educação no contexto da pandemia COVID-19”, contará com a presença internacional do Prof. Dr. Antônio Cipriano Parafino Gonçalves, da Universidades Eduardo Mondlane (UEM) de Maputo/Moçambique e do Prof. Dr. Gustavo Henrique Araújo Forde, da Universidade Federal do Espírito Santo de Vitória/ES. esta mesa será mediada pelo Prof Dr. Sérgio Pereira dos Santos.

Neste ano, as discussões serão realizadas através de plataforma online e serão gratuitas, você pode se inscrever no canal do Youtube do Nepre - UFMT. As inscrições já estão encerradas e contabilizam mais de 1.898 (mil  oitocentas e noventa e oito) inscrições.

 

 

 

Dionísio BAHULE, Filósofo e Crítico de Arte; Professor de História da Arte, Cultura Visual, Ergonomia e Estética e História e Crítica do Design na Universidade Pedagógica de Maputo - Faculdade de Ciências da Linguagem, Comunicação e Artes. Lecciona igualmente no Instituto Superior de Comunicação e Imagem de Moçambique as Disciplinas de Semiótica e Semiologia Visual, Estética e Escrita Criativa. É Actor, Músico e Escritor. Tem um livro publicado: Fotojornalismo [OU] a Gramática das Sensações. Professor convidado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Centro de Ciências de Educação - Programa de Pós-graduação em Educação - PPGE; como também foi para a Disciplina de Políticas e Poéticas Afro-americanas na UNIANDRADE – Curitiba. @bahuledionisio

 

 

Sukeh Tanni, começou a cantar desde cedo, com 6,7anos de idade em casa, depois entrou na igreja onde aperfeiçoei a minha voz, segundo ela. Em 2007 começou a compôr e, mais tarde (2011) compõe a primeira música com influências de música tradicional moçambicana. Hoje canta afro-jazz, jazz, soul, reggae e marrabenta ( música de origem e cultura moçambicana). Faz parte do projecto NÔMADE de Lenna Bahule e já trabalhou com vários outros artistas de Moç[email protected]

 

 

 

Uma criança negra em movimento.
Uma criança antirracista.@manuemanuellevitoria

 

Gê Lacerda
Mulher preta, feminista, cantora, compositora, terapeuta, educadora  mato-grossense e musicoterapeuta, Licenciada em Música pela Universidade Federal de Mato Grosso, instituição que lhe oportunizou, além do acesso ao ensino superior, o reconhecimento enquanto negra e o aprimoramento da criatividade musical. No PET Conexões de Saberes da UFMT, encontrou espaço fértil para o engajamento nas lutas sociais, para uma leitura crítica do mundo, o que resultou na produção do CD Negra Flor, totalmente autoral e que foi custeado pelo PET. Este trabalho traz 13 músicas que refletem parte dessa história


 

Mayura Matos é artista pluriversal, iniciou como atuadora na Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, atuou no grupo 8 anos, passando por diversas linguagens teatrais. Apresentou no Brasil, Portugal, Argentina e Cuba.
Hoje participa do coletivo Humor Negro Night Show, stand-up comedy afrocentrado; é atriz e co-diretora do grupo Coadjuvantes, na peça Woyzeck; Atua na performance autoral ‘Tomada de Consciência"; Sua pesquisa acadêmica é voltada para lei 10.639, possibilidades e desdobramentos da lei no ensino do teatro, assim como questões voltadas a auto-estima do povo-corpo preto através e a partir do teatro. @matosmayura

 

 

O Grupo Quilombo Angola, coordenado pelo Mestre Olavo Perri Reis. Tem como objetivo de trabalhar as seguintes manifestações culturais: Capoeira Angola e o Samba de Roda. A capoeira traduz as experiências diárias – que passam muitas vezes despercebidas – em ritmos e ginga e faz com que o ser angoleiro(a) perpasse a roda de capoeira e ganhe a roda vida, a capoeira faz com que nós percebamos que é preciso gingar pelos meandros da vida, da universidade e assim criar meios e existência e resistê[email protected]

 

 

EXPOSIÇÃO VIRTUAL GUIADA "GRANDES HEROÍNAS NEGRAS". O objetivo é criar espaços de visibilidade às mulheres negras que atuam ou atuaram em diferentes áreas, destacando-se pela perspectiva antirracista, pelo brilhantismo com que executaram seus papéis. As escolas que tiverem interesse devem enviar e-mail para [email protected], informando o interesse e quantos alunos participarão. Os grupos devem ser formados por, no mínimo 20 pessoas e, no máximo, 90 pessoas.

 

Após a manifestação de interesse, a Comissão de Cultura do evento enviará informações aos professores, diretores e coordenadores interessados na visita virtual. A Jornada informará a data e horários disponíveis (14h, 15 ou 16h), após recebimento do e-mail de educadores interessados.

 

 Para acompanhar nossa programação 

A transmissão será gratuita e realizada pelo Youtube através do canal do Nepre - UFMT, inscrevam-se a partir deste link: encurtador.com.br/kuLT3

Contamos com sua colaboração e participação!

 

 

 


Telefone para contato

(65) 3358-5258

© copyright 2018 Todos os direitos reservados.